domingo, 16 de outubro de 2016

ESCRITO NO CÉU

(outubro 2016)
Em Lucas 10,17-24), Jesus diz aos setenta e dois discípulos para se alegrarem não por eles poderem vencer os demônios ou pisar em cobras e escorpiões, mas porque seus nomes estão escritos nos céus. Como fazer para ter o nome escrito no céu?
O Cônego Celso Pedro da Silva, nosso amigo, na agenda bíblica de 2016, comenta esse trecho no dia 01/10, contando que o Dom Luciano Mendes de Almeida, bispo famoso de São Paulo, estava concelebrando a missa em rito oriental, muito mais solene que o nosso rito latino, com toda aquela pompa, na Ucrânia, na cidade de Kiev, presidida pelo Metropolita (o bispo da cidade).
Uma criança não se comportava, “escapava da mãe, tentava entrar no espaço fechado do altar oriental: a criança corria, a mãe corria, a missa longa, todos em pé. Dom Luciano, sentado na entrada do altar, pegou a criança” e a segurou nos braços. (Penso naqueles homens rudes pasmos por vê-lo fazer isso, indignados com a criança e a mãe).
Terminada a missa, a criança correu pra a mãe e a mãe gritou para D. Luciano: “Teu nome está escrito no céu”! Conclui o Cônego: “Eis o que escreve o nosso nome no céu”!
Lembro outro fato ocorrido com ele: na assembleia dos bispos, muitas vezes ele ficava no salão varrendo o chão para as reuniões do outro dia, sem ninguém ver (Se eu estou contando isso, é porque um dia alguém viu).
Meditando sobre isso, tentemos perceber em nossa vida fatos que permitiram ter o nosso nome escrito no céu, baseado nesse comentário do Cônego Celso Pedro!
Você vai ver como muitas vezes atos até impensados de caridade foram mais fortes para que o nosso nome esteja escrito no céu, do que outros, aparentemente santos, mas que foram feitos com arrogância, ou para “cumprir tabela”, ou porque não havia um jeito de escapar daquilo, ou feitos sem amor, apenas por pura obrigação.

São os pequenos gestos que nos aproximam de Jesus, como o fez Santa Teresinha, que comemoramos nestes dias (2/10). Para termos nosso nome escrito no céu, é preciso amarmos como Jesus amou, como Jesus nos ama. 

O TESTAMENTO DE JESUS


(out. 2016)
O comendador Justino (nome fictício), riquíssimo, deixou toda a sua imensa fortuna para os dois filhos e três filhas que tinha, mas colocou uma condição para que eles tivessem direito à herança: conviverem um determinado número de anos juntos, sem brigas, com amor, honestidade, sinceridade, sem esbanjamento, com muita pureza e simplicidade.
É certeza que eles vão fazer tudo para cumprirem essa cláusula, para “botar as mãos” na fortuna imensa do pai.
Ora, Jesus, na cruz, deu-nos por herança dois valores incalculáveis: sua mãe, Maria: (Eis tua mãe, eis teu filho), e a vida eterna.
Maria nos leva a Jesus, que nos oferece a vida eterna , mas exige algumas condições: oi amor a Deus e ao próximo. Amor com “A” maiúsculo, que inclui a caridade, a misericórdia, a comiseração, o perdão, a convivência pacífica, a sinceridade, a simplicidade, a partilha, a pureza de coração etc.
Penso que o valor dessa herança deixada por Jesus, na cruz, é superior a qualquer quantia em dinheiro. Mas tenho certeza de que não temos tanto empenho em lutar contra nós mesmos para ganhar a vida eterna como teríamos para ganhar uma fortuna em dinheiro.
Hoje é 12 de outubro, dia de N. Sra. chamada com o nome de Aparecida, essa mãe tão terna que nos leva a Jesus pelo caminho da simplicidade, da convivência terna, pacífica, misericordiosa, entre nós. Cabe a nós levarmos a sério as exigências de Jesus e, um belo dia, nos encontrarmos todos lá no céu.


SANTOS QUE DERAM O QUE FALAR

Clicando neste link, você acessa o nosso site evangelho e catequese e pode ler as peripécias e maravilhas destes quase 60 santos e santas:

SANTOS QUE DERAM O QUE FALAR

sábado, 15 de outubro de 2016

ANÁLISE DO CORPO DE SANTA BERNARDETE



A incorruptibilidade do corpo de Santa Bernadette Soubirous é um dos casos mais assombrosos e estudados pela medicina. Veja nossa página sobre CORPOS INCORRUPTOS clicando aqui 



A todo momento, mas de modo especial na semana que se comemora a grande festa de Lourdes (11 de fevereiro) e a festa de Santa Bernadette (18 de fevereiro na França, porém no 16 de abril alhures) é proporcionado voltarmos sobre o caso.



Desde 3 de agosto de 1925, o corpo intacto da Santa se encontra exposto numa urna de cristal na capela do convento de Saint-Gildard, na cidade de Nevers, França. A cidade fica na Borgonha, a 260 km ao sul-sudeste de Paris.



Clique para ver onde fica Nevers



Assim informa uma inscrição ao lado do corpo da Santa na mesma capela:



“O corpo de Santa Bernadette repousa nesta capela desde 3 de agosto de 1925.



Ele está intacto e “como se estivesse petrificado” segundo foi reconhecido pelos médicos juramentados e pelas autoridades civis e religiosas por ocasião das exumações de 1909, 1919 e 1925.



O rosto e as mãos, que escureceram no contato com o ar, foram recobertos com ligeiras camadas de cera, moldadas segundo os modelos recolhidos diretamente.



A posição inclinada para o lado esquerdo foi assumida pelo corpo no túmulo.”





Vejamos, entretanto, o que disseram os médicos responsáveis pelas perícias praticadas sobre o corpo da Santa nas diversas ocasiões mencionadas na inscrição.





Primeira exumação



Em 22 de setembro de 1909, trinta anos após o velório, seu cadáver foi exumado pela primeira vez e o corpo encontrado intacto.



Os Drs. Ch. David e A. Jordan, que conduziram esta primeira exumação, escreveram no relatório da perícia:



“O caixão foi aberto na presença do Bispo e do Prefeito de Nevers, seus principais representantes e diversos religiosos. 



“Não notamos nenhum odor. 



“O corpo estava vestido com o Hábito da Ordem a que pertencia Bernadette. O Hábito estava úmido.



“Apenas a face, mãos e antebraços estavam descobertos.



“A cabeça estava inclinada para a esquerda. A face estava lânguida e branca. A pele estava apegada aos músculos e estes apegados aos ossos. 



“As cavidades oculares estavam cobertas pelas pálpebras [...] 



“Nariz dilatado e enrugado. Boca levemente aberta e se podia ver os dentes no lugar. 



“As mãos, cruzadas sobre o peito, estavam perfeitamente preservadas, bem como suas unhas. As mãos seguravam um terço. Podia se observar as veias no antebraço.”

“Os pés estavam enrugados e as unhas intactas.



“Quando o Hábito foi removido e o véu levantado de sua cabeça, pode se observar um corpo rígido, pele esticada [...] 



“Seu cabelo estava com um corte curto e bem preso à cabeça. As orelhas estavam em perfeito estado de conservação [...] 



“O abdome estava esticado, assim como o resto do corpo. Ao ser tocado, tinha um som como de papelão. 



“O joelho direito estava mais largo que o esquerdo. 



“As costelas e músculos se observavam sob a pele [...] 



“O corpo estava tão rígido que podia ser virado para um lado e para o outro [...] 



“Em testemunho de que temos corretamente escrito esta presente declaração, a qual representa a verdade em sua totalidade.



Nevers, 22 de setembro de 1909, Drs. Ch. David, A. Jourdan.”



Veja vídeo do corpo de Santa Bernadette.







Segunda exumação



Em 1919, dez anos depois da primeira exumação, realizou-se uma segunda exumação do corpo de Santa Bernadette, conduzida desta vez pelos Doutores Talon e Comte, com a presença do Bispo da cidade de Nevers, bem como do Delegado de Polícia e representantes da Prefeitura e da Igreja.





A situação encontrada foi exatamente a mesma da primeira exumação.



Eis alguns excertos do relatório final do Dr. Comte, sobre esta segunda perícia:





“Deste exame, concluo que permanece intacto o corpo da Venerável Bernadette, esqueleto completo, músculos atrofiados, mas bem preservados; apenas a pele, que estava enrugada, pelos efeitos da umidade do caixão.[...] 



“O corpo não estava em putrefação nem decomposição, o que seria esperado como normal, após quarenta anos de seu sepultamento.



“Nevers, 3 de abril de 1919, Dr. Comte”





Terceira exumação



Por fim, a 18 de novembro de 1923, Sua Santidade o Papa Pio XI assinou decreto reconhecendo a heroicidade das virtudes de Bernadette.



Após a beatificação da Santa, foi efetivada uma terceira exumação em 12 de Junho de 1925. O objetivo era a retirada de “relíquias” de seu corpo. A canonização viria oito anos mais tarde, em 1933. 



Sobre esta última exumação, escreveu o Dr. Comte em seu relatório, em termos forenses que por vezes espantam aos leigos, mas que nos permitem medir com exatidão o grau da incorruptibilidade do corpo da vidente de Lourdes:


“Eu queria abrir o lado esquerdo do tórax para retirar algumas costelas e então remover o coração, o qual eu tinha certeza que estaria intacto. 


“Porém, como o tronco estava levemente apoiado no braço esquerdo, haveria dificuldade em ter acesso ao coração. 


“Como a Madre Superiora expressou o desejo de que o coração de Santa Bernadette não fosse retirado, bem como também este era o desejo do Bispo, mudei de ideia de abrir o lado esquerdo do tórax e apenas retirei duas costelas do lado direito, que estavam mais acessíveis. 


“O que mais me impressionou durante esta exumação foi o perfeito estado de conservação do esqueleto, tecidos fibrosos, musculatura flexível e firme, ligamentos e pele após quarenta e seis anos de sua morte. 


“Após tanto tempo, qualquer organismo morto tenderia a desintegra-se, a se decompor e adquirir uma consistência calcária. 


“Contudo, ao cortar, eu percebi uma consistência quase normal e macia. 


“Naquele momento, eu fiz esta observação a todos os presentes de que eu não via aquilo como um fenômeno natural.” 






Naquela época foi confeccionada a urna de cristal que guarda o corpo de Santa Bernadette. 


As freiras cobriram seu rosto e as mãos com uma camada fina de cera:






A urna se encontra hoje numa bela capela fora da clausura para que possa ser visitada. 


O corpo milagrosamente preservado de Santa Bernadette encoraja os visitantes a imitarem a vida de Santa Bernadette e levarem a sério as mensagens transmitidas pela vidente da Imaculada Conceição.



Luis Dufaur



O QUE TODO CATÓLICO DEVE SABER


FacebookTwitterImprimirGoogle+Mais...

Quais são artigos da fé católica?
1.Crer em Deus Pai todo-poderoso.
2.E em Jesus Cristo, seu Filho único, Nosso Senhor.
3.Jesus Cristo foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria.
4.Jesus Cristo padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado.
5.Jesus Cristo desceu aos Infernos, ressuscitou dos mortos no terceiro dia.
6.Jesus subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai, todo-poderoso.
7.Donde virá julgar os vivos e os mortos.
8.Creio no Espírito Santo.
9.Creio na Igreja Católica.
10.   Creio no perdão dos pecados.
11.   Creio na ressurreição da carne.
12.   Creio na Vida eterna.

E os Dez Mandamentos?
1.Amar a Deus sobre todas as coisas.
2.Não pronunciarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão.
3.Lembra-te de guardar o Dia do Senhor.
4.Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá.
5.Não matarás.
6.Não pecarás contra a castidade.
7.Não roubarás.
8.Não apresentarás um falso testemunho contra teu próximo.
9.Não desejarás a mulher do próximo.
10.   Não cobiçarás as coisas alheias.

Você conhece os Cinco Mandamentos da Igreja?
1.Participar da Missa inteira nos domingos e em outras festas de guarda e abster-se de ocupações de trabalho.
2.Confessar-se ao menos uma vez por ano.
3.Receber o sacramento da Eucaristia ao menos pela Páscoa da Ressurreição.
4.Jejuar e abster-se de carne, conforme manda a Santa Mãe Igreja.
5.Ajudar a igreja em suas necessidades;

Quais são os dias santos de guarda?
1.Todos os domingos do ano
2.Dia 1º de janeiro, festividade de Santa Maria, Mãe de Deus.
3.Festividade do Corpo e Sangue de Cristo (Corpus Christi), celebrada na quinta-feira depois do Domingo da Santíssima Trindade;
4.Dia 8 de dezembro, festividade da Imaculada Conceição da Virgem Maria.
5.Dia 25 de dezembro, Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Lei do Jejum e Abstinência
1.Toda sexta-feira do ano é dia de penitência, a não ser que coincida com alguma solenidade do calendário litúrgico. Nesse dia os fiéis devem abster-se de comer carne ou outro alimento, ou praticar alguma forma de penitência, principalmente alguma obra de caridade ou algum exercício de piedade.
2.A Quarta-feira de Cinzas e a sexta-feira Santa, memória da Paixão e Morte de Cristo, são dias de jejum e abstinência. A abstinência pode ser substituída pelos próprios fieis por outra prática de penitência, caridade ou piedade, particularmente pela participação nesses dias na Sagrada Liturgia (Legislação complementar da CNBB quanto aos cânones 1251 e 1253 do Código de Direito Canônico).
3.Idade da obrigação: a abstinência obriga a partir dos 14 anos completos; o jejum a partir dos 18 anos completos até os 60 anos começados.

Quem foram os doze Apóstolos?
1.Pedro (Simão)
2.Bartolomeu
3.André
4.Filipe
5.Tomé
6.Tiago
7.João
8.Tiago (o Menor)
9.Judas Tadeu
10.   Judas Iscariotes
11.   Simão (o Zelote)
12.   Mateus (Matias)

Quais são os sete Sacramentos?
Batismo (Mt 28,19)
Confirmação ou Crisma (At 8,17)
Eucaristia (Mt 26,26)
Penitência (Jo 20,23)
Unção dos Enfermos (Ti 5,14)
Ordem (Lc 22,19)
Matrimônio (Mt 19,6)

Quais são as três virtudes teologais?
(1 Cor 13, 13 e cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 1813)
Fé – Esperança – Caridade
Quais são as quatro Virtudes Cardeais?
(Cfr. Catecismo da Igreja Católica, ns. 1805-1809)
Prudência – Justiça – Fortaleza – Temperança.

Quais são os Sete Dons do Espírito Santo?
(Cfr. IS 11, 2-3 e Catecismo da Igreja Católica, n.1813)
Sabedoria
Inteligência
Conselho
Fortaleza
Ciência
Piedade
Temor de Deus
E os doze Frutos do Espírito Santo?
(Cfr. Gál 5,22 e Catecismo da Igreja Católica, n. 1832)
Caridade
Paz
Benignidade
Longanimidade
Fidelidade
Continência
Alegria
Paciência
Bondade
Mansidão
Modéstia
Castidade
Você sabe quais são as sete Obras de Misericórdia Espirituais?
(Cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 2447)
1.Dar bom conselho.
2.Ensinar os ignorantes.
3.Corrigir os que erram
4.Consolar os aflitos.
5.Perdoar as injúrias.
6.Sofrer com paciência as fraquezas do próximo.
7.Rogar a Deus pelos vivos e defuntos.

E as sete obras de misericórdia Corporais?
(Cfr. Mt 25, 35,36; Tob 4,12 e Catecismo da Igreja Católica, ns. 2447-2449)
1.Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus.
2.Bem-aventurados os mansos, porque eles possuirão a terra.
3.Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados.
4.Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça. Porque serão saciados.
5.Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.
6.Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.
7.Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.
8.Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.

Você sabe quais sete pecados capitais? E as virtudes opostas?
(Cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 1866)
Orgulho – Humildade
Avareza – Generosidade
Inveja – Amor ao próximo
Ira – Mansidão
Luxúria – Castidade
Gula – Temperança
Preguiça – Diligência
Você conhece os seis pecados contra o Espírito Santo?
(Cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 1864)
1.Desesperar da salvação.
2.Presunção de se salvar sem merecimento.
3.Contradizer a verdade conhecida por tal.
4.Ter inveja das mercês que Deus faz a outros.
5.Obstinação no pecado.
6.Impenitência final.

Os quatro Pecados que Bradam ao Céu?
(Cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 1867)
1.Homicídio voluntário.
2.Pecado sensual contra a natureza.
3.Opressão dos pobres.
4.Não pagar a quem trabalha.

Cooperação e cumplicidade com os pecados alheios
(Cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 1868)
1.Participando neles direita ou voluntariamente.
2.Mandando, aconselhando, louvando ou aprovando esses pecados.
3.Não os revelando ou não os impedindo, quando a isso somos obrigados.
4.Protegendo os que fazem o mal.

Quais são três principais gêneros de boas obras?
(Cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 1969)
Oração – Jejum – Esmola.
Conselhos Evangélicos
(Cfr. Catecismo da Igreja Católica, n. 2103)
A nossa Mãe a Santa Igreja alegra-se ao encontrar em seu seio muitos homens e mulheres que seguem mais estreitamente a exinanição do Salvador e mais claramente o demonstram, aceitando a pobreza na liberdade dos filhos de Deus e renunciando às próprias vontades; submetem-se eles aos homens por causa de Deus, em matéria de perfeição, além da medida do preceito, para que mais plenamente se conformem a Cristo obediente (Lúmen géntium, n. 42).

Pobreza voluntária – Castidade – Obediência.